Sou casada e me apaixonei por outra pessoa…

“Você foi sincera e buscou ajuda. Esta é a chave para uma possível solução. Apaixonar-se por outra pessoa pode acontecer. É um perigo que deve ser reconhecido e medidas decisivas precisam ser adotadas para se evitar uma história muito triste.”

“Estou tão aflita… Sou casada e me apaixonei por outra pessoa. Não tenho um caso, porém, me sinto tão bem conversando com ele… me diz coisas tão bonitas, me elogia, enquanto que meu marido trabalha muito e nem percebe que eu existo… Já não sei o que fazer, me ajude por favor. Não quero pecar.”

Você foi sincera e esta é a chave para uma possível solução. Apaixonar-se por outra pessoa pode acontecer. Tem ocorrido com diversas pessoas. É um perigo que deve ser reconhecido e medidas decisivas precisam ser adotadas para se evitar uma história muito triste.

Na verdade, ao longo da vida você irá encontrar diversas pessoas que deixarão uma marca em sua vida. A questão central é: vou abrir mão de meus valores, da minha salvação, dos princípios bíblicos, para viver um romance extraconjugal? Esta é uma decisão que só você pode tomar. Conselho: Não se iluda com sentimentos por outra pessoa. Você assumiu um compromisso diante do Senhor de ser fiel ao seu marido.

Geralmente, no começo de um envolvimento emocional é mais fácil se afastar. Cada dia que passa isto se torna mais difícil. Portanto, não deixe que esse momento difícil a impeça de pensar racionalmente.

O que está acontecendo não está correto. Lembre-se que o adultério é devastador, destrutivo e afeta não apenas a pessoa que o pratica, mas também o outro cônjuge e os filhos. Além disso tudo, o adultério é pecado e pode levar a pessoa à perdição. Nesse momento de fragilidade e vulnerabilidade o diabo está usando esse “amigo” que fala “coisas tão bonitas” para destruir o seu casamento e sua felicidade. Não permita que isso aconteça. Não vale a pena. O pecado é uma tragédia imensa! Jesus disse: “O que Deus ajuntou, não separe o homem” (Mateus 19:6).

Certamente você e seu marido estão distantes não repentinamente, mas foi um processo, talvez lento, decorrente de pequenas situações que foram se acumulando. Se o seu cônjuge não comunga de sua fé, mas consente em viver com você e a respeita, não há motivos para a separação (ver 1 Coríntios 7:13). O casamento é sagrado. Apegue-se à promessa de que o marido incrédulo é santificado no convívio da esposa (ver 1 Coríntios 7:14). Não coloque a perder o seu casamento, o seu exemplo para os seus filhos(as), nem a vida eterna.

Ressaltamos que o amor não é uma paixão forte, efêmera, circunstancial e egoísta. Essas características são atributos de uma paixão. O amor é um princípio, fundamentado em Deus, pois Ele é a fonte de todo amor; o amor é uma escolha; ele é constante e fiel; o amor é bondoso; não age inconvenientemente; não maquina o mal; não se ressente do mal; não se alegra com a injustiça, mas se alegra com a verdade; não procura os próprios interesses; não se exaspera; tudo crê; tudo suporta; tudo espera (ver 1 Coríntios 13).

Você não possui esse amor pelo seu esposo? Não se espante. Esse é o tipo de amor ágape, amor divino, que é implantado em nosso coração à medida que nos relacionamos com o nosso Criador, conforme escreveu Paulo: “o amor de Deus é derramado em nosso coração pelo Espírito Santo, que nos foi outorgado” (Romanos 8:5).

Esse tipo de amor resiste às intempéries da vida, às ondas bravias de uma tempestade, pois seu fundamento está em Deus e não em nós. Já pensou na possibilidade de ser sincera com seu esposo e de buscar ajuda? Cremos que Deus pode ensiná-la a amar seu marido e a tornar o seu lar um pedacinho do Céu. Já pensou em ler livros que podem ajudá-la? Dentre muitos livros existentes, sugerimos aqui a leitura do capítulo 16, do livro O Lar Adventista, intitulado: “Companheirismo Feliz”.

Fonte: Biblia.com.br