Qual é o problema em consumir café ou vinho?

“Uma recente pesquisa que foi feita com consumidores de café exigiu que eles se abstivessem do produto por 21 dias. Sabe qual foi o resultado? Confira:”

Por mais incrível que nos pareça, esse assunto não é tão controverso. Basta perguntarmos a especialistas ou consultarmos artigos científicos sobre o assunto e não haverá quem negue o fato de que o café faz aumentar a pressão arterial. E isso não é bom para a saúde! Uma recente pesquisa que foi feita com consumidores de café exigiu que eles se abstivessem do produto por 21 dias. Sabe qual foi o resultado? Dores de cabeça intensas! Por quê? Porque café é um estimulante do sistema nervoso central e pode causar dependência. A abstenção pode resultar em crise de abstinência que desencadeia numa série de efeitos sobre o bem estar do indivíduo.

Muitas vezes o que acontece é que alguns tentam justificar um hábito antigo que, se modificado, poderia afetar violentamente a economia. Uma pessoa que não tem o hábito de tomar café, caso beba, poderá ter palpitações, taquicardia, e os defensores do café dirão que isto ocorre porque o indivíduo não está acostumado a tomar café! E quanto ao sono? Se ingerido à noite poderá afetar a sua qualidade e com o tempo provocar insônia e ansiedade. Isso não é nada bom! 1

Com o uso continuado do café e de qualquer outra bebida cafeinada, o sistema nervoso da pessoa que assim maltrata seu organismo poderá sentir dores de cabeça, insônia, palpitação, indigestão, tremores, e muitos outros males, pois tais bebidas (café, chá preto, chá mate e muitas outras bebidas populares como os refrigerantes à base de cola) esgotam a força vital.2 Os efeitos fisiológicos da cafeína tornam-se visíveis nos adultos em doses de apenas 100-200 mg – o equivalente de uma a três xícaras de café. Mas para uma criança (de 1 a 5 anos de idade) uma lata de soda cafeinada corresponde a quatro xícaras de café!

Estudos afirmam que “o café tem sido positivamente associado a fatores que promovem a cardiopatia coronariana (Preventive Medicine, 1994, 23:377-384);  o colesterol aumenta até mesmo com uma xícara de café regular diária (Journal of Clinical Epidemiology, 1995, 48:1.189-1.196); o risco de infarto no miocárdio (American Journal of Epidemiology, 1995, 14:724-731); perda óssea acelerada da espinha dorsal e do corpo total em mulheres com consumo de cálcio abaixo da recomendação alimentar de 800 mg (American Journal of Clinical Nutrition, 1994, 60:573-578); o risco de câncer no ovário (International Journal of Cancer, 1981, 28:691-693); e ‘exibe os aspectos de uma típica substância psicoativa de dependência’ (Journal of the American Medical Association, 1994, 272:1.043-1.048).”3

Pesquisadores perceberam que, à medida que os bebedores de café envelhecem, seu consumo de café aumenta e este aumento no consumo se faz acompanhar de um decréscimo no envolvimento religioso. 4

De modo semelhante ocorre com consumo do vinho, que possui flavonóides e resveratrol, o que para muitos “justificaria” o seu uso, pois tais compostos fazem bem ao coração. Mas e o que dizer do consumo de álcool? Quais são os prejuízos e riscos que uma pessoa corre ao tomar vinho? O álcool queima a mucosa bucal podendo causar câncer; o álcool pode perverter o juízo; o indivíduo pode perder o autocontrole e tornar-se um alcoólatra.5  Faz bem ao coração? “O Dr. Guilherme B. Terhune, autor do livro “The Safe Way to Drink” (A Forma Segura de Beber), afirma: ‘Em todas as circunstâncias, o álcool é uma má medicina. Não existe nenhuma justificação científica para seu uso medicinal. São atribuídas a ele virtudes médicas que não possui. O álcool não ajuda o coração, não evita a insuficiência coronária, nem provê força. É pobre como estimulante do apetite, estorva a digestão; e como antídoto da fadiga, é simplesmente o mesmo que açoitar um cavalo cansado. Não é ‘o consolo dos velhos’, uma vez que estorva ainda mais o funcionamento do cérebro desgastado.” (citado em “Newstart”, Vernon Foster, M.D., Weimar Institute, Califórnia, USA, p.131, 1990).”6

Está comprovado que flavonóides e resveratrol fazem muito bem à saúde e ao coração, mas o vinho não é a única fonte destes compostos químicos. O suco de uva tinto integral também os possui e seu uso adequado em uma base regular certamente trará grandes benefícios à saúde global do ser humano, abrangendo os aspectos físico, mental, social e espiritual. Na contramão disso, o uso do vinho pode trazer sérios prejuízos em todos estes aspectos. O vinho pode ser facilmente substituído pelo suco de uva integral.

Porém, muitos usam as pesquisas que mostram os benefícios dos flavonóides e resveratrol como justificativa para o consumo do vinho sem considerar os riscos que o uso da bebida alcoólica pode trazer. Em se tratando de álcool, o cardiologista Luiz Carlos Bodanese afirma que se deve ter “muita cautela” e que “muitos usam as pesquisas como justificativa para fugir de restrições médicas e familiares.”7 A bebida alcoólica tem efeito depressor do sistema nervoso central, pode causar dependência, prejudica o discernimento e pode perverter o juízo. Tudo o que a pessoa possui de mais valor é a sua consciência, sua capacidade de exercer juízo e fazer escolhas morais. Sob o efeito do álcool a consciência fica prejudicada e a partir disso, muitos outros problemas podem ocorrer. A Bíblia diz: “O vinho é zombador e a bebida fermentada provoca brigas; não é sábio deixar-se dominar por eles” (Provérbios 20:1 – NVI). Mais adiante o sábio Salomão escreveu: “Não estejas entre os bebedores de vinho” (Provérbios 23:20). O próprio contexto mostra que a bebedice, ou seja, o vício da embriaguez, traz pobreza e miséria. Além disso, o autor do texto adverte contra a tentação de não resistir às atrações do álcool e por isso ele acrescenta: “Não olhes para o vinho, quando se mostra vermelho, quando resplandece no copo e se escoa suavemente. Pois ao cabo morderá como a cobra e picará como o basilisco. Os teus olhos verão coisas esquisitas, e o teu coração falará perversidades. Serás como o que se deita no meio do mar e como o que se deita no alto do mastro e dirás: Espancaram-me, e não me doeu; bateram-me, e não o senti; quando despertarei? Então, tornarei a beber” (Provérbios 23:31-35).

Portanto, concluímos que um estilo de vida saudável preserva a integridade da pessoa, a capacidade de raciocínio, discernimento, fortalece a mente, o corpo e proporciona maior sensibilidade espiritual. Nenhum hábito deve ser mantido às custas da saúde física, mental e espiritual. “Não sabeis que sois santuário de Deus e que o Espírito de Deus habita em vós? Se alguém destruir o santuário de Deus, Deus o destruirá; porque o santuário de Deus, que sois vós, é sagrado” (1 Coríntios 3:16 e 17).

Fonte: Biblia.com.br

_______________

1 Para saber mais sobre esse assunto, leia “Efeitos da Cafeína” disponível em: (http://www.portalnatural.com.br/vida-saudavel/saude-e-bem-estar/o-efeito-da-cafeina/#axzz4c4G6j6ml).

2 Hebert E. Douglass, Mensageira do Senhor (Tatuí, SP: Casa Publicadora Brasileira, 3ª ed. 2009), p. 324.

3 Ibidem, p. 338.

4 Ibidem, p. 339. Citado em Galem C. Bosley, “Is Adventist Health Reform Scientific?” Ministry, abril de 1987: J. F. Greden, R. Fontaine, M. Lubertsky e K. Chamberlin, “Anxiety and Depression Associated whith Caffeinism Among Psychiatric  Patients”, American Journal of Psychiatry, 135, Nº 8 (1978), págs. 963-966; B. S. Victor, M. Lubetsky e F. Greden, “Somatic Manifestations of Caffeinism”, Journal of Clinical Psychiatry 42, Nº 5 (1981), págs. 185-188.

5 Para saber mais sobre os efeitos do álcool, leia “Por que não beber bebidas alcoólicas?”, disponível em: (http://www.portalnatural.com.br/vida-saudavel/saude-e-bem-estar/por-que-nao-beber-bebidas-alcoolicas/#axzz4c4G6j6ml).

6 Revista da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul. Ano XXX, n.º 133. Março-Abril 2007, p. 8.

7 http://www.portalnatural.com.br/vida-saudavel/saude-e-bem-estar/por-que-nao-beber-bebidas-alcoolicas/#axzz4c4G6j6ml