O que a Bíblia diz sobre a concupiscência?

“A concupiscência é uma das coisas desse mundo de pecado, mas graça de Deus dá-nos poder para dizer não à ela.”

A concupiscência é uma das coisas desse mundo de pecado. A Bíblia diz em 1 João 2:16-17: “Porque tudo o que há no mundo, a concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos e a soberba da vida, não vem do Pai, mas sim do mundo. Ora, o mundo passa, e a sua concupiscência; mas aquele que faz a vontade de Deus, permanece para sempre.”

Qual é a conotação da pelavra “mundo” (kosmos) empregada nessa passagem? “‘[O autor de João]  refere-se à sociedade humana na medida em que está organizada sobre princípios injustos, caracterizada por desejos inferiores, falsos valores e egoísmo.’ Em outras palavras, para dizê-lo simples e concretamente, para João o mundo era nada menos que a sociedade pagã com seus falsos valores, suas falsas maneiras de viver e seus falsos deuses. Nesta passagem o mundo não se refere ao mundo em geral, visto que Deus amava a sua criação; refere-se ao mundo que, de fato, tinha esquecido o Deus que o tinha criado.” (William Barclay, p. 66).

Os cristãos estavam sob o risco de contemporizar com o mundo, de ajustar suas normas às do mundo de tal maneira que as diferenças entre o mundo e a igreja seriam diminuídas.

“A concupiscência da carne” engloba os pecados da carne, pecados sexuais, mas é mais abrangente, pois “a carne é essa parte de nossa natureza que, desprovida de Deus e da graça de Jesus Cristo, oferece um lado fraco ao pecado. Inclui os pecados da carne, mas também todas as ambições mundanas e todos os desejos mesquinhos. Estar submetido aos desejos da carne é julgar todas as coisas do mundo segundo normas puramente materiais. É endeusar os prazeres puramente humanos. É viver uma vida dominada pelos sentidos. É a glutonaria no comer, o entrega ao luxo, a degradação no prazer, a cobiça e o relaxamento na moral, o egoísmo no uso das posses. […] O desejo da carne é esquecido, cego e desatento para com os mandamentos divinos, o juízo divino, as normas divinas, e a própria existência de Deus.” (Ibidem, p. 67).

A concupiscência é pecado e conduz a outros pecados. A Bíblia diz em Mateus 5:28: “Eu, porém, vos digo que todo aquele que olhar para uma mulher para a cobiçar, já em seu coração cometeu adultério com ela.”

O homem concupiscente pagará as consequências. A Bíblia diz em Provérbios 6:25-29: “Não cobices no teu coração a sua formosura, nem te deixes prender com as suas olhadelas. Por uma prostituta o máximo que se paga é um pedaço de pão, mas a adúltera anda à caça de vida preciosa. Tomará alguém fogo no seio, sem que as suas vestes se incendeiem? Ou andará alguém sobre brasas, sem que se queimem os seus pés? Assim será com o que se chegar à mulher do seu próximo; não ficará sem castigo todo aquele que a tocar.”

A graça de Deus dá-nos poder para dizer não à concupiscência. A Bíblia diz em Tito 2:11-12: “Porque a graça de Deus se manifestou, trazendo salvação a todos os homens, ensinando-nos, para que, renunciando à impiedade e às paixões mundanas, vivamos no presente mundo sóbria, e justa, e piamente.” (BibliaInfo.com)

Fonte: Biblia.com.br