O marido deve ajudar nas tarefas domésticas?

 “Todas as coisas devem ser feitas em amor, e no que se refere às tarefas do lar, estas devem ser compartilhadas com todos os membros da família.”

“Trabalho fora e nos finais de semana cuido da casa. Gostaria de saber se é errado pedir a meu marido para ajudar-me na arrumação da casa, pois antigamente a tarefa de arrumar a casa, lavar, passar e cozinhar era só para as mulheres. Só queria que ele me ajudasse, afinal nós dois trabalhamos fora de casa. Não acho justo que a mulher tenha que ser uma escrava para o marido. Respondam-me: Será que não estou agindo corretamente? Será que não estou sendo uma boa esposa?”

A sua pergunta é talvez a mais corriqueira do mundo entre as mulheres. Se você enfrenta essa situação, por favor, leia o artigo até o fim. Há dicas que poderão lhe ajudar. Todas as coisas devem ser feitas em amor, e no que se refere às tarefas do lar, estas devem ser compartilhadas com todos os membros da família. Os laços de afeto, os comportamentos e sentimentos devem ser inspirados no amor altruísta de Jesus. Esse é o tipo de amor que sempre busca o bem da outra pessoa. Vejamos a definição bíblica do amor:

“O amor é paciente, é benigno; o amor não arde em ciúmes, não se ufana, não se ensoberbece, não se conduz inconvenientemente, não procura os seus interesses, não se exaspera, não se ressente do mal; não se alegra com a injustiça, mas regozija-se com a verdade; tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta. O amor jamais acaba” (1 Coríntios 13:4-8).

É certo que o amor se torna visível em atitudes de serviço altruísta. A Bíblia diz que Deus nos amou de “tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo o que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna” (João 3:16). Esse é o modelo supremo de amor e que, naturalmente, nós não o possuímos. Mas podemos tê-lo, se nos mantivermos conectados à sua fonte original. Jesus disse: “Eu sou a videira, vós, os ramos. Quem permanece em mim, e eu, nele, esse dá muito fruto; porque sem mim nada podeis fazer” (João 15:5).

Em Cristo podemos desenvolver um amor por Deus que resultará em amor próprio e ao semelhante de forma muito saudável. Por isso, encorajamos as pessoas a sempre manterem-se em comunhão com Cristo, para dEle receber conforto, sabedoria, paz, perdão, graça habilitadora para desenvolver o fruto do Espírito, conforme está em Gálatas 5:22:

“Mas o fruto do Espírito é: amor, alegria, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fidelidade, mansidão, domínio próprio. Contra estas coisas não há lei” (Gálatas 5:22).

O amor é o instrumento mais poderoso de transformação, pois “amor gera amor”. Receber um amor imerecido é constrangedor, por isso que Paulo diz: “Pois o amor de Cristo nos constrange” (2 Coríntios 5:14). Se o seu cônjuge respeita você e não lhe faz nenhum “terror” psicológico, agressão verbal ou física, então procure enxergar alguma coisa positiva para fazer um elogio sincero. Lembre-se que o amor é o maior agente de transformação. O elogio sincero pode mudar muitas coisas! A pessoa que o recebe se sente valorizada, útil e se sentirá estimulada a sempre fazer mais.

Também deve ser destacado que a comunicação no casamento é extremamente importante. Naturalmente existem ruídos na comunicação por vários motivos. Às vezes não dizemos o que gostaríamos de dizer e outras vezes sim. Mas a mensagem pode ser interpretada de forma muito diferente por aquele que a recebe, e por isso é muito importante manter o diálogo para verificar se o que o outro entendeu foi de fato o que você quis dizer. É preciso ter muita paciência, bondade e amor para que haja crescimento e compreensão. Portanto, depois de elogiar sinceramente aquilo você gosta que ele faça e demonstrar amor altruísta, expresse como você se sente em relação a ter que dar conta sozinha das atividades domésticas.

Como vocês dois trabalham fora, que tal conversar sobre dividir as responsabilidades do lar? Não há nada de incomum ou desonroso em um homem assumir parte dos serviço domésticos. Pelo contrário. Isso é muito nobre! É possível que alguns homens sejam desatentos quanto a isso, portanto é importante conversar de forma clara e tranquila sobre esse assunto. Há uma passagem bíblica que chama os maridos a assumirem essa responsabilidade:

“Maridos, vós, igualmente, vivei a vida comum do lar, com discernimento; e, tendo consideração para com a vossa mulher como parte mais frágil, tratai-a com dignidade, porque sois, juntamente, herdeiros da mesma graça de vida, para que não se interrompam as vossas orações” (1 Pedro 3:7).

Como cristãos devemos seguir o modelo de serviço altruísta de Jesus Cristo. O cooperativismo é uma marca de sucesso e felicidade: “Levai as cargas uns dos outros e, assim, cumprireis a lei de Cristo” (Gálatas 6:2).

Então, fica a dica: elogie sinceramente o seu marido por aquilo que você gosta que ele faça; demonstre amor em palavras e ações; expresse como você se sente, sem acusá-lo, por ter que realizar sozinha as tarefas domésticas; peça a ajuda dele. Que Deus lhe abençoe!

Fonte: Biblia.com.br