Existe perdão para quem cometeu adultério?

De acordo com o evangelho o perdão de Deus está disponível para todas as pessoas.

♦”Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para perdoar os nossos pecados e nos purificar de toda injustiça” (1 João 1:9).

“Pois há um só Deus e um só mediador entre Deus e os homens: o homem Cristo Jesus” (1 Timóteo 2:5).

“Meus filhinhos, escrevo-lhes estas coisas para que vocês não pequem. Se, porém, alguém pecar, temos um intercessor junto ao Pai, Jesus Cristo, o Justo” (1 João 2:1).

A sábia orientação bíblica diz que “quem esconde os seus pecados não prospera, mas quem os confessa e os abandona encontra misericórdia” (Provérbios 28:13).

A Bíblia diz que “todos pecaram e estão destituídos da glória de Deus” (Romanos 3:23). O convite de salvação é feito para toda a humanidade (João 3:16). Para que o homem seja salvo ele deve se voltar para o Senhor em arrependimento e confissão dos pecados, aceitando a Jesus como Senhor e Salvador (Atos 2:37, 38; 1 João 1:9; 3:6). Recordamos, entretanto, que o arrependimento não é algo que o ser humano produz por si mesmo. É na verdade o amor de Deus e Sua bondade que o conduz ao verdadeiro arrependimento (Romanos 2:4). 

A palavra arrependimento na Bíblia é traduzida do termo hebraico nachum, que significa “sentir-se triste”, “contristar-se”, e da palavra shuwb que significa “mudar de direção”, “voltar-se”, “retornar”. O termo equivalente em grego é metaneo, e denota o conceito de “mudança da mente”. Segundo o ensino bíblico o arrependimento é um estado de profunda tristeza pelo pecado e implica em uma mudança de comportamento. F. F. Bruce define da seguinte maneira: “Arrependimento (metanoia, ‘mudança da mente’) envolve o abandono do pecado e voltar-se para Deus em contrição; o pecador arrependido está em condições próprias para receber o perdão divino.”

É unicamente através dos méritos de Cristo que o pecador pode ser declarado justo, libertado da culpa e da condenação. O texto bíblico afirma: “O que encobre as suas transgressões jamais prosperará; mas o que as confessa e deixa alcançará misericórdia” (Provérbios 28:13). O “nascer de novo” implica em renunciar a velha vida de pecado, reconhecer a necessidade de Deus, de Seu perdão e depender dEle diariamente. Como resultado, a pessoa vive na plenitude do Espírito (Gálatas 5:22). Nessa nova vida o cristão pode dizer como Paulo: “Fui crucificado com cristo. Assim, já não sou eu quem vive, mas Cristo vive em mim. A vida que agora vivo no corpo, vivo-a pela fé no filho de Deus, que me amou e se entregou por mim” (Gálatas 2:20). Ao se deparar com o desânimo, ou incerteza sobre o amor e cuidado de Deus, reflita:

“Ninguém tem necessidade de se abandonar ao desânimo e desespero. Satanás poderá se achegar a vós com a cruel sugestão: ‘Teu caso é desesperado. És irremissível.’ Mas há para vós esperança em Cristo. Deus não nos manda vencer em nossas próprias forças. Pede-nos que nos acheguemos bem estreitamente a Ele. Sejam quais forem as dificuldades sob que lutemos, que nos façam vergar o corpo e a alma, Ele está à espera de nos libertar.” (A Ciência do Bom Viver, p. 249). Creia nisso, e seja feliz!

Fonte: Biblia.com.br