Em busca de amigos?

“A escolha de amigos pode ser uma das coisas mais importantes na vida de todos nós. Uma amizade pode ser uma benção ou uma maldição em nossa vida. Muitos fazem más amizades acabam nos desviando do caminho certo.”

A escolha de amigos pode ser uma das coisas mais importantes na vida de todos nós. Uma amizade pode ser uma bênção ou uma maldição em nossa vida. Como cristãos, precisamos compreender o que Cristo quis dizer ao declarar que nós somos “a luz do mundo” e “o sal da terra” (Mateus 5:13, 14), e a relação que isso pode ter quando desenvolvemos amizade com as pessoas. Ao se misturar com gente diferente que possui valores e princípios distintos, o cristão deve ser como o sal, que se mistura e dá sabor aos alimentos sem deixar de ser sal. Isso significa que ao desenvolver amizade com as pessoas o cristão não deixa de ser íntegro, ou seja, ele não é moldado por valores e costumes contrários à sua fé. Se existir respeito na amizade, há espaço para que ela se desenvolva de forma saudável. Porém, se não houver consideração, e existir algum tipo de imposição, mesmo que seja sutil ou de “brincadeira”, forçando a barra para uma atitude, comportamento ou decisão inadequada, é preciso avaliar esse tipo de amizade.

Usando a analogia do sal, o cristão íntegro não perde o seu valor e não deixa de ser sal. Ele se mantém fiel a Cristo, mesmo se sofrer pressão de grupo. Tudo o que ele oferecerá é o bem e a sinceridade. Entretanto, há limites na amizade que precisam ser respeitados, pois se não forem, tal relacionamento pode ser muito nocivo e prejudicial.

Uma má amizade pode exercer grande influência sobre a pessoa e desviá-la do caminho correto. Os adolescentes e jovens estão mais vulneráveis às influências, mas mesmo as pessoas mais maduras estão sujeitas a serem influenciadas. Portanto, o cristão deve manter comunhão diária com Cristo, através da leitura da Bíblia e prática da oração, para que receba sabedoria divina e saiba discernir o bem e o mal, o certo e o errado, o saudável e o nocivo.

Os valores das pessoas diferem muito. Muita gente que conhece Jesus se deixa influenciar pelos valores errados de certos “amigos” e, quando se dão mal… Bem, sempre há espaço para o choro. Uma pesquisa nos EUA mostrou que a procura por amizades entre os jovens é muito intensa. Mas muitas das amizades que começam aparentemente bem, acabam em sofrimento e vergonha.

O jogador Don Rogers de 27 anos foi à sua festa de despedida de solteiro organizada por “amigos”. Don iria se casar no dia seguinte, mas o uso de drogas naquela festa impediu seus planos. Don morreu. Muitas e muitas vezes as notícias revelam que pessoas fazem coisas erradas e se envolvem em confusão quando estão com “amigos”.

Há pessoas que procuram fazer amizades com gente rica e famosa, só para terem prestígio. Acham que os outros gostarão mais delas e vão achá-las importantes. Esse tipo de amizade vem e vai como o vento. Não dura nada.

Quer ter amigos? Quer uma amizade verdadeira? Seja quem você é. Também não deixe que sua personalidade seja anulada por pessoas possessivas que querem decidir as coisas por você. Sabe, é melhor ter poucas e sinceras amizades do que encher-se de amizades de pouca importância. A melhor amizade é aquela que a Bíblia ensina: a amizade de irmãos. “O homem que tem muitos amigos sai perdendo; mas há amigo mais chegado do que um irmão” (Provérbios 18:24). O verdadeiro amigo conhece os nossos defeitos, mas prefere ver o que há de melhor em nós. Jesus é assim. Ele nos chamou de amigos, mesmo conhecendo nossos defeitos (João 15:15). Ele nos ama como irmãos. O melhor de tudo é que Cristo pode nos transformar e nos tornar semelhantes a Ele. Quer fazer amigos? Comece com Jesus, Ele lhe apresentará outros amigos sinceros!

Fonte: Biblia.com.br