Crescimento espiritual: ajuste de foco e visão

“O ajuste da escala de valores da vida só pode ser verdadeiramente efetivo quando Cristo é em tudo o primeiro, o último e o melhor.”

O cristão que ama a Deus tem o foco e o desejo centralizados no Senhor, em Sua Palavra e na missão. Ao fazer de Cristo em tudo o primeiro, o último e o melhor, todas as demais coisas tendem a se ajustar na devida ordem e lugar. Qualquer inversão dessa ordem de valor, quando Deus deixa de ocupar o primeiro lugar no trono do coração, perde-se o foco da vida e a comunhão com o Pai. Então já não se sente mais aquela paz, alegria, conforto, segurança e esperança que só podem ser desfrutadas verdadeiramente quando se está conectado à Fonte da vida.

O Espírito Santo age e trabalha por meio das Escrituras Sagradas de tal modo a nos ajudar a ter o foco e a percepção ajustados, para que possamos contemplar, pela fé, a realidade das coisas que não se podem ver naturalmente. Então, por meio de uma comunhão viva com Deus é possível manter o foco e enxergar a realidade invisível das coisas espirituais e a manter uma correta escala de valores, sendo que o primeiro lugar deve ser ocupado pelo Criador. Nada, nem mesmo a família ou a igreja deve ocupar o trono do coração, tampouco a vontade própria ser colocada acima da vontade de Deus. O ajuste da escala de valores da vida só pode ser verdadeiramente efetivo quando Cristo é em tudo o primeiro, o último e o melhor.

A partir dessa perspectiva podemos compreender de um ângulo diferente as admoestações da Palavra de Deus. Falando do sofrimento e das adversidades que o cristão pode enfrentar no cumprimento da missão de Cristo, Paulo escreveu: “Porque a nossa leve e momentânea tribulação produz para nós eterno peso de glória, acima de toda comparação, não atentando nós nas coisas que se vêem, mas nas que se não vêem; porque as que se vêem são temporais, e as que se não vêem são eternas” (2 Coríntios 4:17, 18). Note que o foco do apóstolo está perfeitamente ajustado e centralizado em Deus. Embora não seja possível ver as coisas invisíveis que Ele revelou em Sua Palavra, isso não significa que elas são irreais ou inexistentes. Ao contrário disso, há inúmeras evidências que demonstram que as Escrituras Sagradas são dignas de confiança e que devemos nos atentar para as coisas “que se não veem [porque] são eternas”.

Em um mundo onde há todo tipo de apelo voltado para o materialismo e consumismo, o cristão não pode vacilar e deixar de se proteger. Se a estratégia do inimigo é criar meios para distrair nossa atenção e prejudicar a nossa comunhão com Deus, a estratégia divina é a de ajustar o nosso foco ou redirecionar a nossa visão. O interessante é que a principal ferramenta que Deus usa é a Sua Palavra, pois mediante o estudo diário da Bíblia o Espírito Santo trabalha incansavelmente para impressionar a nossa mente e transformar o nosso coração. Talvez seja necessário ser mais claro sobre esse ponto. Há tantas distrações, entretenimentos, jogos, games, internet, séries de TV, noticiários, redes sociais que podem exercer grande influência no modo em que o pensamento é construído, além de roubar um tempo precioso da vida. Há um princípio bíblico que deve nortear a vida cristã: “Portanto, quer comais, quer bebais ou façais outra coisa qualquer, fazei tudo para a glória de Deus” (1 Coríntios 10:31). Com o foco ajustado, a pessoa passa a ter o objetivo de viver para a glória de Deus.

“Não ameis o mundo, nem o que há no mundo. Se alguém ama o mundo, o amor do Pai não está nele. Porque tudo o que há no mundo, a concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos e a soberba da vida, não vem do Pai, mas sim do mundo. Ora, o mundo passa, e a sua concupiscência; mas aquele que faz a vontade de Deus, permanece para sempre” (1 João 2:15-17). Observe que João emprega o imperativo do verbo amar (agapaō em grego) para dizer: “pare de amar” ou “não continue a amar”. O grande problema é o amor devotado às coisas no lugar de Deus.

Deus não quer nos privar de desfrutarmos de forma saudável dos prazeres da vida que estão em harmonia com Sua vontade. Se há algum prazer ilícito ou proibido, esteja certo de que há comprometimento físico, mental e espiritual, e por essa razão Deus estabeleceu limites, inclusive para aquilo que é lícito, pois Ele nos ama e deseja o nosso bem. O grande problema é que sem o filtro espiritual concedido pelo Espírito Santo, nosso foco e visão ficam embaçados e nossa escala de valores pode ser alterada ou invertida com muita facilidade. O domínio próprio é afetado e, consequentemente, pensamentos, coisas, pessoas e prazeres passam a ocupar o lugar de Deus. Isso é idolatria e, portanto, pecado. Deus considera como infiéis os que vivem dessa maneira: “Infiéis, não sabeis que a amizade do mundo é inimizade contra Deus? Portanto qualquer que quiser ser amigo do mundo constitui-se inimigo de Deus” (Tiago 4:4 ). Em sentido metafórico o termo infiel empregado nesse texto pode se referir àquele que não tem fé em Deus, ao ímpio.

Tanto o Antigo quanto o Novo Testamento revelam a condição da natureza humana pecaminosa. “Enganoso é o coração, mais do que todas as coisas, e desesperadamente corrupto; quem o conhecerá?” (Jeremias 17:9). Jesus claramente destaca que a maldade revelada em atos e palavras nascem no íntimo do coração: “Porque de dentro, do coração dos homens, é que procedem os maus desígnios, a prostituição, os furtos, os homicídios, os adultérios, a avareza, as malícias, o dolo, a lascívia, a inveja, a blasfêmia, a soberba, a loucura” (Marcos 7:21, 22). Somente o Espírito Santo pode ajustar o foco das lentes da visão e convencer o pecador de seus pecados, redirecionando-o para Cristo, o Salvador. Não há nada que possamos fazer para solucionar o problema do pecado. A nossa única esperança é Cristo! À medida que crescemos na graça em nossa experiência e intimidade com Deus, experimentamos a força de Seu poder. Por essa razão precisamos ter a nossa mente, foco e visão ajustados diariamente por meio da Palavra de Deus, pois ela é o principal instrumento usado pelo Espírito Santo para fazer as correções e ajustes necessários: “E não vos conformeis a este mundo, mas transformai-vos pela renovação da vossa mente, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus” (Romanos 12:2).

Se você deseja viver pela fé e ter o discernimento espiritual para poder estabelecer as prioridades em sua vida, que tal aceitar o compromisso pessoal com Deus de se manter em comunhão com Ele por meio do estudo diário da Bíblia e a prática da oração? Há vários cursos bíblicos disponíveis no site, totalmente gratuitos, que poderão lhe ajudar na aquisição do conhecimento bíblico e no crescimento espiritual. Desejamos que você cresça continuamente na graça de Cristo e que sua fé e esperança sejam fortalecidas em Deus e em Sua Palavra!

Fonte: Biblia.com.br