Como lidar com o abuso sexual dentro de casa? – Parte 2

“É possível perceber se a criança está sendo vítima de abuso sexual dentro de casa? Como lidar com a situação? No que os pais ou familiares devem ficar atentos quanto ao comportamento da criança e que aponta um possível abuso sexual é:”

É possível perceber se a criança está sendo vítima de abuso sexual dentro de casa? Como lidar com a situação? No que os pais ou familiares devem ficar atentos quanto ao comportamento da criança e que aponta um possível abuso sexual é:

1. Interesse excessivo ou evitação de natureza sexual.

2. Problemas com o sono ou pesadelos.

3. Depressão ou isolamento de seus amigos e da família.

4. Achar que têm o corpo sujo ou contaminado.

5. Irritação genital ou sangramento, inchaço, dor, coceira, cortes ou arranhões na área genital, vaginal ou anal.

6. Atitudes de rebeldia.

7. Agressividade excessiva.

8. Comportamentos autoagressivos.

9. Terror e medo de algumas pessoas ou alguns lugares.

10. Respostas ilógicas quando perguntamos sobre alguma ferida em seus genitais.

12. Temor irracional diante de um exame físico.

13. Mudanças súbitas de conduta.

É importante que os familiares estejam atentos ao comportamento da criança, porque dificilmente a própria criança denuncia o que está acontecendo por se sentir extremamente confusa sobre o que está acontecendo. Mas, se a criança confia a um adulto sobre estar sendo abusada ou ter sofrido um abuso sexual, o adulto deve:

1. Incentivar a criança a falar sobre o que aconteceu, demonstrando compreensão.

2. Assegurar à criança que ela fez muito bem em contar o ocorrido, porque ela pode se sentir culpada por revelar o segredo ou com muito medo de que sua família a castigue por divulgar o abuso.

3. Informar às autoridades qualquer suspeita séria de abuso sexual.

4. Consultar um pediatra ou médico de família para atestar a veracidade da agressão (quando houver sido concretizada) e avaliar os efeitos emocionais da agressão sexual, para ver se há a necessidade de ajuda profissional psicológica para superar o trauma do abuso.

5. Quando a criança tiver que testemunhar sobre a identidade de seu agressor, é melhor utilizar métodos indiretos como fotos, vídeos do abusador ou qualquer outra opção de não ter que encarar o acusado.

6. Afastar esta criança do contato com este adulto abusador imediatamente e não voltar a deixar a criança em contato com ele até que ele tenha feito um tratamento prolongado e completo para esta compulsão sexual por crianças.

Para fazer qualquer denúncia com relação a abuso sexual, você pode discar 100 e receberá a devida atenção.

Fonte: Biblia.com.br