Como cuidar da autoestima?

“Cuidar da autoestima é fundamental para a saúde física, emocional e espiritual. Há sete dicas que podem contribuir para você ter uma autoimagem saudável.”

1. Não se comparar com outras pessoas – as pessoas são diferentes e ao nos compararmos com elas, se nossa autoestima está baixa, automaticamente tenderemos a observar na outra pessoa o que ela tem e a gente não, e isto não é bom. Ainda mais porque as pessoas têm temperamentos diferentes, estrutura física diferentes. Há aspectos que não vamos conseguir mudar mesmo em nosso corpo. Então, preste atenção naquilo que você tem de bonito e procure, também, ser feliz e satisfeito como você é.

2. Liste características positivas que você tem e valorize-as diariamente – se possível faça uma listinha em um papel mesmo, para que você veja as coisas boas que você tem. Quando a gente escreve parece que fica mais fácil de visualizarmos.

3. Faça coisas boas para você – ter uma atividade de lazer pelo menos uma ou duas vezes por semana para que você se distraia. Isso também é cuidar de você. O cuidado com a alimentação também é importante. Ligue para um amigo e converse. Chame um amigo ou uma amiga para um almoço ou um lanche. Tenha momentos de descontração com sua família. Enfim, trate bem você ao invés de ficar se condenando por coisas que AINDA não conseguiu. Preste mais atenção no que você conseguiu até aqui e no que faz por você diariamente. Valorize isto!

4. Aceite elogios e acredite neles. Observe se você, ao ser elogiado, automaticamente se deprecia com frases como “que isso, não estou tão bonito(a) assim” ou “ah, esta roupa é do 1,99” ou “não achei que falei tão bem assim”. Aceite o elogio. Diga “obrigado” e sinta-se mesmo elogiado, valorizando para você também o que fez. Isto não é orgulho. É se valorizar!

5. Não se deprecie na frente de outras pessoas. Tome cuidado para não usar frases depreciativas com relação a você para outras pessoas com relação ao seu corpo, ou a alguma atitude, seja lá o que for.

6. Evite pensamentos de autopiedade (“Eu não sirvo para nada” ou “Ninguém gosta de mim”, “Tudo acontece de ruim comigo”). Estes pensamentos, na maioria das vezes, não são verdadeiros. São irreais. Portanto, tente identificá-los e evitá-los. Corte-os quando eles vierem à sua mente.

7. Expresse e valorize suas ideias e sentimentos. Dê a sua opinião quando perguntarem e seja sincero(a). Se alguém disser a você que notou que você está triste, se confiar na pessoa, assuma isto e peça ajuda, enfim, não tenha vergonha do que está sentindo e do que pensa. Você também se valorizará assim!

Se existem sentimentos depressivos que estão atrapalhando você de seguir com a sua vida, comece a traçar objetivos que serão positivos para você, mesmo que agora esteja sem vontade de realizá-los! Procure se desconcentrar de você mesmo e desses sentimentos e pensamentos depressivos ou negativos e se lance em outras atividades. Normalmente quando se começa algo que faz bem a si próprio, mesmo que não tenha ânimo, a motivação certamente virá depois. É preciso começar!

Se você estiver se sentindo muito deprimido(a) mesmo, sem vontade de nada, procure um psicólogo em sua cidade a fim de começar a tratar esta depressão para que a sua vida não pare por causa dela. Você poderá aprender várias coisas para se sentir melhor. Dê preferência, talvez, para a Terapia Cognitivo Comportamental ou para a Terapia Breve, que são mais objetivas. E continue os exercícios físicos, porque quando exercitamos o corpo há a produção de hormônios como a serotonina, endorfina, adrenalina e a dopamina que são responsáveis pelo nosso bem-estar. Pode perceber que normalmente depois de nos exercitarmos, o nosso ânimo muda para melhor.

Fale do que você está sentindo para alguém de sua confiança e que seja maduro para ouvir você. É muito importante que você expresse estes sentimentos, os seus medos, preocupações e tristezas. É comum as pessoas que estão deprimidas pensarem que estão sendo um fardo para o familiar ou amigos e, por isso, se isola. Mas não é fardo algum para aquele que lhe ama e deseja fazer parte do seu processo de recuperação. Não é vergonha você expor o que está sentindo, porque depressão não é sinal de fraqueza, mas sim uma doença. Assim como outras enfermidades precisam ser tratadas, a depressão também deve ser tratada. Acima de tudo, coloque toda sua confiança em Deus, porque Ele ama você, compreende seus dilemas, conhece sua estrutura, e continua com os mesmos planos de lhe conceder a bênção da vida abundante que há em Cristo e, no porvir, a vida eterna (João 10:10; Marcos 10:30).

“Eis que a mão do Senhor não está encolhida para que não possa salvar, nem surdo seu ouvido para não poder ouvir” (Isaías 59:1).

“Porque para mim tenho por certo que os sofrimentos do tempo presente não podem ser comparados com a glória a ser revelada em nós” (Romanos 8:18).

Fonte: Biblia.com.br